Google+ Followers

sexta-feira, 14 de março de 2014

Desejo Sexual Hipoactivo você sabe o que é:

O desejo sexual hipoactivo, ou falta de desejo, manifesta-se pela diminuição de fantasias eróticas e da vontade de ter actividade sexual. Esta disfunção tem vindo a crescer, de há 15 ou 20 anos para cá, tem havido um aumento na procura de consultas da especialidade devido a queixas desta natureza. Esta tendência é global, sendo que em Portugal esta disfunção afecta, segundo os últimos estudos, cerca de 15,5% dos homens de todas as idades.
CAUSAS
A origem desta doença nem sempre é facilmente perceptível pelo homem, sendo o facto de não perceber porque tem o desejo sexual diminuído, uma das causas de procurar ajuda especializada.
Algumas das causas conhecidas são:
  • Drogas e medicamentos: é conhecido que o ecstasy pode afectar irreversivelmente o sistema límbico, sistema responsável pelo controlo e determinação do desejo sexual. Os antidepressivos são fármacos que também afectam o desejo sexual.
  • Hormonais: a diminuição dos níveis de testosterona, que se dá nos homens mais velhos (andropausa) gera uma diminuição do desejo sexual. 
  • Psicológicas: dúvidas, receios, falta de confiança, acontecimentos traumáticos, entre outras, podem ser razões para existir desejo hipoactivo.
  • Sem explicação: por vezes não existem razões aparentes para a falta de desejo, estando estas situações a aumentar. Especula-se sobre possíveis causas para estas situações, nomeadamente stress, medo em relação à mulher, onda hertzianas dos telemóveis, televisão, rádio, etc.
TRATAMENTO
Não existe um tratamento-padrão. Cada caso carece de um tratamento personalizado, devido à disparidade que caracteriza a sexualidade humana. Ainda assim, quando a causa é hormonal é mais facilmente inverter o desejo hipoactivo, assim como quando a causa é psicológica (através de consultas especializadas de Sexologia). Os casos mais complicados de tratar são quando o sistema límbico está lesado por ingestão de drogas, nos homens sob terapêutica antidepressiva, e quando não há explicação aparente para a disfunção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário