Google+ Followers

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Menina Evangélica dando o rabinho!


Tudo começou na faculdade. Quando adentrei no curso de Administração, havia um bocado de garotas bonitas na minha turma. Uma delas, a Giana, morena, magra (porém com um traseiro bem redondinho), foi a que mais me chamou a atenção. O problema é que ela era evangélica, e como eu não sou religioso, achei que não poderia rolar nada entre a gente. Eu até tentei dar algumas investidas, mas era menosprezado por ela. Até que um dia eu simplesmente desisti, resolvi deixar pra lá, mas como nem toda mulher sabe lidar com rejeição, o fato d\'eu ter desistido dela fez com que ela começasse a querer chamar minha atenção. Ela fazia de tudo, usava decotes, calças apertadas que realçavam o capô de fusca dela e até mesmo usava shorts apertados quando nem sequer estava calor. Mesmo assim continuei menosprezando, só pra ver até onde isso iria acabar. Certo dia, durante uma festa da faculdade, acabei ficando com uma garota, e como a Giana estava na festa e viu aquilo, pude perceber que aquilo despertou uma fúria interna dentro dela. É claro que eu estava rindo da situação, afinal de contas, eu estava testando até onde os limites de uma garota super religiosa poderiam exceder. Quando estava saindo da festa, Giana me puxou pelo braço e me perguntou se eu havia ficado com outra garota na festa. Respondi que sim e pra minha surpresa, ela me disse em tom de ódio e tesão:



"Então vem cá que eu te mostro o que é pegar uma garota de verdade"



Ela me arrastou pro banheiro e chegando lá, se atirou em cima de mim com um beijo de língua deliciosamente sufocante. Começou a beijar e lamber meu pescoço enquanto apertava o meu pau por cima da calça jeans. Pela primeira vez na vida, eu estava testemunhando uma santinha virar uma diabinha safada. Foi quando então ela começou a enfiar sua mão dentro da minha cueca e começou a alisar meu pau com força. Ela se abaixou, abaixou minha calça e minha cueca ao mesmo tempo e caiu de boca no meu pau e deu inicio a um boquete super frenético e melequento. Ela chupava, lambia e até dava leves mordidinhas na cabeça do meu pau, sem contar que adorava ficar massageando minhas bolas enquanto fazia tudo isso. Então ela se levantou, se apoiou na pia e abaixou sua calça e disse:



"Não quero perder a virgindade da boceta ainda, então me come por trás!"



Obedeci imediatamente e comecei a lubrificar meu pau pra poder deslizar naquele cuzinho apertadinho dela. Fui empurrando meu pau devagar no começo, mas depois que seu rabo ficou laceado, comecei a bombar naquela bunda que nem um coelho. Foi quando então eu disse que iria gozar e ela se abaixou pra receber toda a minha porra na cara dela e jorrei que nem chafariz no rosto dela. E foi assim que eu vi uma santinha se tornar uma pecadora, mas se algum dia ela for se confessar, espero que seja comigo, pois sempre tive vontade de transar dentro de um confessionário. 

Um comentário: