Google+ Followers

sexta-feira, 8 de março de 2013


























































































SELEÇÃO DE FOTOS SÓ PARA MULHERES E MEUS LINDOS AMIGOS GAY!

















beijo Sexo Entre Homens





Rafael E Johnny




Brody Loves Older Men - Gay

Glossmen NM 41 - Scene 1




Hot Gay Voyeur Loves Cock




Fuck Me. - Anal Sex Video





Cute Inmate Takes DOUBLE PENETRATION - Gay





La Receta De Mi Medico








HOT Business Boardroom MUSCLE FUCK



Ben Andrews With His Foot Long Penis - Gay









Op10925 3000.mp4






Gay White Boys Love Big Black Cock




Janet Alfano Gets Double-teamed In The Woods















CONTOS EROTICOS


18 Year Old Maryjane Johnson


Comi pela 1º vez o cú apertado da ninfeta

olá meu nome é Alexandro (fictício), esse é o meu primeiro conto erótico, e vou conta pra vocês, pois foi tudo real. eu tenho 32 anos, sou moreno estatura média e magro, casado. Em 2010 fui transferido para trabalhar em uma cidade chamada Ribeira do Amparo na Bahia, e depois de um ano quando já tinha pegado amizade com todos da pequena cidade, conhecir uma garota por nome macela (fictício), ela tinha cerca de 1,60 m de altura, corpo bem definido, seios médios, bunda empinada e gostava de vestir shortinho, logo que pus os olhas nela fiquei com muito tesão pela aquela bunda gostosa, muitas as vezes transava com minha esposa pensando naquele bunda gostoso, certa vez foi comprar pão e começamos a conversar, e conversa vai conversa vem, fale para ela sobre sua beleza e força de vontade e logo vi seus olhos lagrimejarem, e perguntai o que foi, se eu tinha falado algo que a machucou, e ela disse que não, e me revelou que tava passando por problemas com o rapaz que ela convivia, e logo sentei comecei a dar conselhos para ela, para ela não baixar a cabeça, e que se desse valor e etc. Ela gostou muito e perguntou se poderia conversar comigo num outro momento, eu disse que sim e ela marcou para ir lá em casa ao anoitecer para desabafar, nesta época minha esposa tava viajando para são Paulo para ver as filhas e passa o ano novo lá. Então as 7hr de noite ela chegou, vinha do trabalho, abrir aporta e ela entrou e sentou no sofá e começamos a conversar e ela contou que estava cansada do marido que só pensava em bebe e chegava bêbado, maltratava e humilhava ela e começou a chorar e peguei na mão dela e pedir pera se acalmar e levantar a cabeça e ser forte, por que teria de tomar uma decisão de reconstruir sua vida, pois ela não merecia passar pelo que estava passando. Até então, não tinha planejado nada, só pensei em ser solidário com a situação dela, foi que ao consolar, ela botou a cabeça no meu ombro e eu comecei a acariciar sua cabeça e a carne dela tremia e sentir sua carência, foi ai que me veio na cabeça de aproveitar avance mas não força-la a nada, e não fiz muito esforço, ela botou a cabeça no meu colo e eu alisei o seu rosto e logo fiquei de pau duro, virei o seu rosto e disse que ela era muito linda, logo já estávamos nos beijado euforicamente uns 10 minutos e comecei a cariciar a sua nunca e foi ai que ela se entregou de vez, minha mão percorreu todo o seu corpo e logo enfiei a mão dentro do sue short e tava toda molhadinha de tesão. Foi ai que levantei do sofá coloque-a deitada e tirei aquele shortinho safado e ela tremia, e ao ver aquele corpinho tesudo que paisagem, cair de boca na boceta dela e ela deu um horror profundo e eu a chupava com vigor, sem perder tempo tirei a calça e fiquei de pé enfrente dela, quando ela viu o meu pau ficou maravilhada, pois apesar de não ser muito alto tenho um caralho de uns 19 cm e ela caiu de boca e começou a fazer masturbação com boca num vai e vem frenético logo fiz um 69 de pé com ela, segurai pela cintura ali de pé e bombei na boca dela e metia a língua na boceta deliciosa. Em seguida sentei e coloquei ela sentada com o pau e ela gemeu e gemeu e fiquei de pé de novo com ela no colo e o cacete penetrado em sua boceta sedenta e balançava ela pra cima e enfiava foi fantástico. Sem que eu esperasse ela disse: quero te dar meu cu virgem. Eu adorei a proposta. Então disse a ela que seria uma honra e seria muito gentil com ela, fui ate a cozinha pegue um óleo de oliva que minha esposa usa na salada e lambuzei meu pau todo e a seu cuzinho apertadinho, coloque ela de pernas aberta coloque bem devagar a cabeça da taca, tirei e coloquei de novo ate dar uma certa elasticidade e ai soque e ela gritou de prazer dizendo que pau gostoso, mete no meu rabo seu picudo, mete e eu obedecir sua ordem e soquei pra vale, chega o óleo escorria com um caldo amarronzado e metir e disse ta gostando sua cachorra, em seguida sentei no sofá, ela veio de costa e eu coloque o pau no seu cu que já estava todo melado levantei suas pernas para cima segurando uma mão em cada perna até suas pernas ficarem encostadas em sua barriga e bombei bastante naquele cu que era virgem e tirai todo o seu cabaço anal e ela chiava: ai seu gostosa tarado você me arrombou, em seguida peguei na cozinha uma lata de leite condensado e despejei no pau e ela de joelho abocanhou o cacete e eu disse chapa sua safada gulosa e ela chupeu ate o saco, quando ela chupou a cabeça do cacete sentir que não ia aguentar mas e bombei forte na boca dela e quando não aguentei joguei a porra toda no seu rosto melando também o seus seios, foi a foda mais incrível que tive ela tomou um banho e agradeceu pelo conselho e disse que ia tomar as providencias para ser feliz, me encontrei com ela em outro lugar, mais isso contarei depois, aguardem.





Eu, meu primo e sua esposa

Wang Crammed Latin Manuela



Oi meu nome vai ser M, do meu primo D e da mulher dele L. Tudo começo com uma brincadeira minha e do meu primo aquelas brincadeiras que seu pau e maior que o meu e vomos metir o qual ganhei no tamanho e na grossura. O meu primo D ficou doido em ver ele ereto e duro de tesão quando pegou a fita metrica e ele começou a medir centimetro a centimetro quando percebi ele estava alizando o meu membro começo a chupar, juro que fiquei meio surpreso com aquilo, mas eu estava com um tesão que nunca senti antes ao ver o meu primo a me chupar, dai para frente começamos a nos encontrar com mais frequencia eu e ele. Já tinha cedido a ele também já o chupava e depois começou a rolar te tudo entre nós e sempre conversamos sobre como seria se nossas mulheres descobrissem pois nós dois somos casados. Minha fantasia era que minha esposa transasse com outro macho e eu vendo tudo e filmando para poder ver depois, mas minha esposa nunca aceitou isso e nem sabe que eu tenho este tipo de relacionamento com meu primo. Certo dia viajei para a cidade onde meu primo mora e fiquei na casa de frente da dele. Na noite que cheguei eu me chamou para eu ir na casa dele ver um problema no computador, disse que já iria lá pois estavo acabando de tomar banho. E lá fui eu sem saber de nada o que aconteceria naquela noite, chegando na casa dele encontrei ele de cueca e a mulher dele deitada na cama lendo uma revista, comecei a mexer na máquina que ficava no outro quarto junto com ele. Depois que ele saiu e disse que voltaria rápido para o quarto fiquei sozinho com o computador por uns 15 minutos, achei que ele estava demorando muito e fui ver o que aconteceu, ele estava nú e a mulher dele de calcinha na cama se beijando, aquilo que deu um tesão tão grande que meu pau quase saiu da cueca na hora, vendo aquilo tudo o meu primo me olhou e falou: o sonha da L e ser comida por dois machos ao mesmo tempo, me esperei ele dizer o resto e já fui tirando a roupa e puxando a calcinha dela para o lado e vendo aquela buceta carnuda todinha na minha frente pronta para ser possuída, comecei a mamar naqueles crítores deliciosos que estava todo melado, ela gozou muito na minha boca e depois começamos a penetrar nela devagarinho do jeito que ela me pediu. Acabado a situação ela começou a ficar com vergonha de mim e fui embora dormir achando que tinha acabado naquela noite, pois no outro dia iria embora. No outro dia cedo meu primo não foi trabalhar e me chamou para irmos buscar a esposa dele no serviço e lá fomos. Depois ele pediu para irmos a uma casa de uma conhecida para olhar se estava tudo bem. Chegando lá ele e ela subiram quando estacionava o carro, quando cheguei lá em cima eles estavam no quarto parado olhando para a porta que eu estava, se passaram uns 5 minutos os dois começaram a se beijar e ela me chamou que queria agora dupla penetração, comecei a brincar com meu dedo na sua buceta deliciosa digo por sinal, a chupa-lá e depois a penetra-la de novo e meu primo olhando isso tudo e quase morrendo te tesão, foi quando ela pediu para meu primo deitar-se na cama e começou a cavalgar nele com uma força e pediu que eu a penetra-se então no cuzinho dela bem gostoso ela gemia dando e gritava te tanto tesão gozava como uma louca, ficamos assim por um bom tempo, depois fomos tomar banho e ela me pediu algo inusitado o sonho dela era ver o seu marido sendo enrabado por outro homem quando ela era enrabado por ele, disse que não tinha problema se ele concordasse, mas eu sabia que ia concordar, pois ele já tinha experimentado minha pica. Fomos para o quarto e começamos tudo de novo ela não controlava mais o seu tesão gozava horrores ao ver aquela cena, depois ela pediu que eu a penetrasse e que o meu primo me penetrasse como ultimo desejo dela, concordei, pois quem esta na chuva é para se molhar, ficamos assim mais de três horas, depois do almoço vim embora para minha cidade e mantenho contato com eles e brincamos de vez enquanto. Agora estou tentando marcar com minha mulher e meu primo se conseguir conto depois






Minha melhor amiga

Porn Girlfriend Ride On Top Cums Inside Clip


Era uma noite fria de inverno, chamei-a para dormir comigo, tentaria controlar meus instintos e desejos por aquela mulher. Toda perfeita, com um busto grande e definido, quadris proporcionais ao seu corpo, cabelos negros e compridos, olhos grandes e negros como jabuticaba, seu cheiro era como de uma criança, aquele cheiro maravilhoso que faz querer ficar perto e nunca mais largar.

Escuto a campainha tocar, era ela, meu coração disparou, abri a porta, ela estava linda, com maquiagem forte, preto com roxo, uma combinação perfeita, um short jeans, que eu conseguia ver todas as suas curvas, cada detalhe que já conhecera muito bem, uma camiseta larga que deixava ver uma parte do seu busto, com um casaco jeans por cima da camiseta, meia calça arrastão rasgada e all star roxo.

Chamei-a para entrar, estava boquiaberta com sua perfeição, falei para ir para meu quarto, ela disse então que queria tomar banho, tirou sua roupa no meu quarto mesmo e foi nua para o banheiro, não sei como resisti a ela, vi todas as suas curvas, seus seios redondos e grandes, examinei de longe todos os seus detalhes, cantinhos, tudo. Enquanto ela estava no banho tentei me distrair, mas foi muito difícil, a imagem daquela mulher nua em minha frente não saia da minha cabeça. Até que ouço ela me chamar no banheiro 'Thaay' cheguei na porta e não tive coragem de abrir, perguntei pela porta fechada mesmo 'Oi?' 'me trás uma toalha? eu esqueci' fui direto buscar a toalha, bati na porta, 'esta aqui Nana', só escutei ela dizer 'pode entrar', abri a porta devagar, imaginei que ela se cobriria com qualquer coisa que visse pela frente, mas foi o contrário, ela terminou o banho bem quando entrei no banheiro, abriu o box, e a vejo nua, toda molhada, entreguei-a a toalha,  ela começa a se secar e a dar gemidinhos baixos mordendo o lábio inferior, fiquei na porta olhando-a, fixada em descobrir algo no corpo dela que nunca teria reparado. Ela começou a dizer coisas aleatórias que não escutei, estava muito impressionada com a beleza daquela mulher. Ela só de toalha se aproximou de mim, mordeu meu pescoço e passou os dedos na boca e depois no meu sexo. Que mulher! Sabe que desejo-a e ainda provoca mais. Falei que ia arrumar a cama para assistirmos um filme, ela fingiu que nem escutou e foi ao quarto colocar sua lingerie vermelha, aquela que eu adorava, aquela que a deixava mais provocante, aquela que me deixava mais louca querendo aquela mulher, aquela que eu sempre quis tirar devagarinho para deixá-la mais sexy. Sentei na cama e fiquei observando-a colocar sua lingerie, antes mesmo dela colocar a lingerie, começou a dançar em minha frente, começou a apalpar seus próprios seios, a passar a mão por seu sexo e por seu corpo todo. Ela sabia que estava conseguindo me deixar louca, estava provocante, estava tão exitada quanto eu. Quando eu ia tocá-la ela fugiu e colocou sua lingerie 'estou gostosa Thay?' 'claro! só falta deixar eu te chupar todinha né' 'sua safada, quem sabe um dia.' aquela foi a deixa, ELA QUERIA, e eu que pensava que ela nunca deixaria de ser hétero, tava ai se soltando pra uma sapata como eu. Coloquei minha camiseta larga preta que ela adorava, segundo ela eu ficava linda com aquela camiseta. 

Desliguei as luzes, só a tv ligada, o filme ia começar, ela nem sabia que filme era, mal sabe que eu havia comprado um pornô lésbico para vê-la exitada. No começo ela nem entendeu o filme, até que reparei que ela estava se tocando por baixo do edredom, virei de lado pra ela, comecei a beijar seu rosto e seu pescoço, não a vi relutar para parar, então é claro que prossegui, estava passando as mãos por sua cintura, virei seu rosto para mim e beijei-a, aquele beijo quente e gostoso, aquele beijo que dava mais tesão. Passava minha mãos pelos seios dela e ela só gemia, aquilo me deixava mais louca, ela não sabia mais o que fazer, se gemia, ou me beijava, comecei a acariciar seus seios mais forte, já estava em cima dela tirando seu sutiã, mordendo seu lábio inferior, beijando seu pescoço, e ela cada vez mais louca de desejo, cheguei em seus seios, e que seios! maravilhoso para mamar, comecei a passar a língua no biquinho e acariciava o outro, começava a chupar, mamar, e assim alternava entre os dois, ela gemia mais alto. Enquanto a chupava passava a mão em seu sexo, já estava toda molhadinha, comecei a aumentar a velocidade que passava os dedos por seu sexo, ela estava adorando e cheia de  tesão. Beijei-a, entre gemidos e suspiros, chupei seus seios, e fui beijando sua barriga, senti que ficava cada vez mais exitada, cheguei em seu sexo, beijava sua buceta com calcinha mesmo e sentia seu líquido quente em minha boca, arranhava suas coxas na parte de dentro, que é mais sensível, e ela não sabia se gemia, ou gritava, ou suspirava ou mandava eu chupá-la logo, mas eu estava adorando vê-la com tanto tesão assim. Comecei a tirar sua calcinha devagar com o dente, ela sentia meu hálito quente passando por seu sexo e por suas coxas, terminei de tirá-la com as mãos, ela já se revirando de tesão. Passava a língua rapidamente e beijava seu sexo para provocá-la, ela estava louca de tesão, não aguentava mais, mordendo seu lábio inferior e acariciando seus seios, só ouvia seus gemidos misturados aos gemidos do filme. Aquilo estava exitante demais. Abri mais suas pernas e comecei a passar a língua devagar em seu sexo, aumentando a velocidade, cada vez mais rápido e ela se retorcia, enfiava minha língua em seu sexo e ela gemia mais alto. Lambia, chupava, enfiava minha língua nela, e só se escutava gemidos de tesão. A velocidade da minha língua aumentava, comecei a enfiar um dedo um sua buceta, ela já estava rebolando, via que ela estava adorando, enfiei mais um dedo, estava chupando-a e enfiando meus dedos em movimentos de vai-e-vem devagar e já aumentando a velocidade, e ela rebolando colocando seu sexo contra a minha cabeça, fazendo com que eu a chupasse mais rápido, e enfiasse meus dedos mais rápido também, a vi louca, gemendo, suando, suspirando de tanto tesão, era aquilo que eu queria, vê-la louca, desejando tudo aquilo como se não houvesse amanhã. Então ela gozou, começou a rebolar mais devagar, e eu fui diminuindo a velocidade de meus dedos e a língua, fui beijando sua barriga, subindo para seus seios, chupando-os um pouco, beijando seu pescoço, e a vendo sorrir, beijei seus lábios, ela mordendo seu lábio inferior, sabia que agora ela começaria a me provocar como sempre fez e que sempre conseguiu muito bem, mesmo sem nem saber.






ESPOSAS TROCADAS (Incesto, Prazer a quatro)



O relógio na parede da sala marcava quase 2.00h da manhã. Na mesa de centro, copos e garrafas de vinhos vazios. Na baixela alguns pedaços de queijo cortado em cubos, e na tela da TV, cenas de sexo explícitos entre dois casais que não paravam de foder.
No chão, peças de roupas e lingerie espalhadas pelo tapete, e no sofá, minha concunhada, uma loira de rosto angelical, olhos azuis da cor do céu, lábios carnudos, seios grandes e firmes, corpo perfeito, completamente nua deitada com as pernas aberta, totalmente descontrolada, esfregava na minha boca sua suculenta e deliciosa buceta raspadinha.
No outro canto da sala, minha esposa debruçada no braço do sofá com sua bundinha arrebitada, sofria para agüentar no seu cuzinho os 19cm de rola do seu irmão que a penetrava com estocadas forte e profunda arrancando de sua garganta grunidos indecifráveis.
Entre gemidos e sussuros, o cheiro de sexo e a cumplicidade dos parceiros, enchia aquele ambiente de erotismo e tesão, que ao mesmo tempo, expressava toda a volúpia de um desejo de certa forma “proibido”.Conheci minha esposa a Soninha, através do meu melhor amigo o Jair, que mantinha uma relação incestuosa com ela escondido dos seus pais. Não fiquei chocado, pois antes de conhecê-la, meu amigo já tinha me confidenciado esse segredo. Talvez por minha iniciação sexual ter sido com esse amigo, não escondíamos nada um do outro.
Jair há tempo mantinha relações sexuais com sua irmã, mas sempre preservando sua virgindade, pois tinha medo de engravidá-la.
Cheguei um dia na chácara desse meu amigo e não encontrei ninguém em casa, deduzi que tinham ido pra cidade, pois a camioneta não estava na garagem. Na realidade, essa chácara funcionava como um clube de campo onde seus pais tomavam conta, e os sócios só visitavam nos finais de semana.   Estava caminhando pela chácara e quando chego a um galpão bem afastado da casa principal, ouço barulho e me aproximo pra ver se era ele.
Deparo-me com uma cena que até hoje não me sai da cabeça. Soninha vestida com uma saia jeans curtinha sentada em uns caixotes de madeira com as pernas abertas, e Jair ajoelhado na sua frente chupava sua bucetinha segurando em umas das mãos sua calcinha.
Soninha com seus olhos fechados gemia de tesão enquanto a boca do seu irmão explorava sua bucetinha. Ajeitei-me num canto e presenciei a cena me acabando numa punheta.
Jair se levantou e sua irmã tomou seu lugar, abaixou sua bermuda e saltou pra fora seus 19 cm de pica que ela sem pestanejar tentava engolir, mas era muito grande para caber na sua boquinha.
Soninha chupava gostoso o pau do seu irmão que delirava forçando sua cabeça de encontro ao seu corpo tentando fazer com que ela engolisse todo seu pau, mas quando chegava à sua garganta, Soninha fazia ânsia de vômito e seu irmão aliviava um pouco.
Quando estava em ponto de bala Jair pegou sua irmã, encostou-a na parede de costa pra ele, levantou sua sainha e a puxou de forma que Soninha com as mãos apoiadas na parede arrebitava sua bundinha para que Jair a penetrasse por trás.
Jair molhou seu pau, cuspiu no cu dela e foi enfiando devagar fazendo desaparecer por completamente até seus bagos encostar-se à chaninha da sua irmã.
Soninha com movimentos cadenciados rebolava na rola do seu irmão enquanto Jair apalpava seus seios.
Aos poucos Jair foi aumentando o ritmo e pelos gritinhos da Soninha, percebi que estava gozando.
Jair retirava quase todo seu pau e atolava sem dó no cu da sua irmã que gemia sem parar jogando seu corpo pra trás para agasalhar todo o caralho do irmão.
Conforme Jair ia aumentando a intensidade do vai e vem, os gritinhos da Soninha iam se transformando em ganidos roucos que de forma ruidosa saía de sua garganta.
Jair segurou firme na cintura dela e deu um grito despejando toda porra acumulada do seu saco escrotal no cu da sua irmã, e eu com as pernas bambas, gozava pela segunda vez na minha mão.
Quando fui me retirar para que eles não notassem minha presença, me tropecei e caí em cima de umas sacarias derrubando algumas garrafas que estavam ali.
Soninha e Jair se assustaram e rapidamente tentaram se recomporem. Jair respirou aliviado quando me viu caído no galpão tentando me levantar. Soninha ainda estava com as palmas das mãos tapando seu rosto de vergonha pensando ter sido flagrada por seus pais.
Se fossem seus pais, suas desculpas não resolveriam muito, pois a porra do Jair teimava em escorrer pelas pernas da Soninha que mesmo trancando seu cuzinho não conseguia segurar no seu interior.
Jair acalmou Soninha dizendo que eu já sabia de tudo que rolava entre eles, e neste mesmo dia tirei o cabacinho da buceta de Soninha.
Mesmo sabendo do relacionamento incestuoso que rolava entre Jair e Soninha, não foi o bastante para impedir que me apaixonasse por ela.
Jair também caiu de quatro por sua prima a Aninha que veio morar na chácara com eles, pois seu tio foi contratado para ajudar seu pai na administração do clube.
Aninha uma loira lindíssima que mostrou ser muito sapequinha, pois logo nos enturmamos e transávamos os quatro no mesmo quarto quando seus pais viajavam.
De vez em quando trocávamos de mulher, eu me deliciava com a bucetinha da Aninha enquanto Jair castigava o cu da sua irmã que era viciado em fodê-lo.
Eu e Soninha e Jair com a Aninha, noivamos e marcamos o casamento pro mesmo dia, foi uma festona que rolou na chácara para celebrar a união de dois casais de amigos que se amavam muito.
Após o casamento, nossos encontros foram diminuindo à medida que os estudos e o trabalho tomavam conta do nosso cotidiano, e quando os filhos chegaram, ficou quase impossível manter nosso quadrado amoroso, mas mesmo assim, sempre que surgia uma oportunidade Jair pegava a Soninha e Eu ficava com a Aninha.
Após ter passado em um concurso público, vim trabalhar e morar em Curitiba, Jair ficou em São Paulo e acabamos perdendo contato por cinco anos.
Em um domingo à noite Soninha recebeu um telefonema do seu irmão dizendo que ele tinha passado na casa do meu pai e pegou o número do nosso telefone e o endereço de nossa casa, e que no próximo final de semana ele e Aninha nos fariam uma visita.
Soninha ficou radiante e eu também, pois sentia muita falta deles.
Fiquei feliz quando minha comadre ligou dizendo que ia descer pro litoral e levaria Paulinho meu filho para que fizesse companhia pro filho dela que era mais ou menos da mesma idade. Claro que deixei. Soninha também não pôs empecilhos.
Na sexta à noite meus compadres passaram em casa e pegaram Paulinho. Eu e Soninha transamos até de madrugada fantasiando o que poderia rolar no final de semana.
No sábado de manhã enquanto Soninha arrumava a casa, fui ao mercado e renovei meu estoque de vinho, também comprei vários tipos de queijo para a noite fazermos um aperitivo, pois prevíamos que nossa noitada ia ser em casa mesmo.
Logo após o almoço meus cunhados chegaram a nossa casa, foi só alegria. Abraço, beijos, podia perceber em seus rostos que a felicidade era recíproca.
Jair estava bem mais forte, e Aninha como sempre irradiava beleza e simpatia. Agora com seus 25 anos e com um corpão perfeito, não tinha como olhar para aquela deusa de sorriso angelical e não pensar em sexo.
O contraste da beleza de Aninha e Soninha era algo encantador.
Soninha morena clara, olhos verdes, da mesma altura da Aninha, seios médios, bumbum arrebitado.
Aninha loira, olhos azuis da cor do céu, seios enormes, uma bunda fenomenal, duas mulheres sexy, gostosas, lindíssimas, com corpos perfeitos, mas com beleza diferente. O que não diferem das duas é a maneira de se entregarem de corpo e alma ao amor, vivendo intensamente cada momento dando e recebendo prazer aos seus parceiros sem preconceito e sem culpa.
A noite chegou. Todos de banhos tomados, e a conversa continuava animada regada por muitos copos de vinhos.
As mulheres foram pra cozinha preparar os aperitivos, Eu e Jair ficamos na sala conversando e relembrando o passado, não teve como não falar das nossas aventuras sexuais.
Para provocar as mulheres, colocamos no DVD um filme pornô onde dois casais dividiam a cama numa foda de tirar o fôlego. Quando elas voltaram pra sala Eu e Jair já estávamos de paus duros assistindo o filme e dando risada comparando o desempenho dos artistas. As duas sorriram e chamaram nós de safados e tarados.
Aninha disse que ela e Soninha eram muito melhores que as duas que estavam atuando no filme, na realidade eram mesmo.
Já embalados pelo vinho, Jair abraçou Aninha beijou-a na boca e foi tirando sua camiseta. Seus seios saltaram pra fora e ele caiu de boca chupando com gosto aquela maravilha enquanto suas mãos alisavam sua bucetinha por cima da calcinha.
Aninha para retribuir, alisava o pau do marido por dentro da bermuda.
Soninha ao meu lado, apertava meu pau enquanto assistia seu irmão chupando sua cunhada. Então ela se agachou a minha frente, tirou minha bermuda, alisou meu pau e colocou na boca chupando bem devagar, eu me deliciava com a boca da minha esposa enquanto via agora, minha cunhada e meu cunhado completamente nus embrenhados em um 69 estonteante.
Peguei Soninha, nos livramos das roupas ficando nus também, e suguei sua bucetinha já encharcada de tesão.
Soninha gozou várias vezes na minha boca, e ao lado Aninha com as pernas no ombro do Jair recebia em sua buceta o caralho do seu marido com tanta violência que o encontro de seus corpos produzia um som como se estivessem estapeando.
Soninha ficou de quatro a minha frente, e meti meu pau na sua bucetinha com vontade. Ela jogava seu corpo pra trás e quando meu pau encostava-se ao seu útero, ela dava uma reboladinha dando a impressão como que sua buceta mastigasse meu pau. Ao lado os gemidos da aninha e os berros do Jair denunciava um gozo espetacular. Vendo aqueles dois gozando, penetrei forte e rápido na buceta da Soninha, quando senti seu corpo tremer eu atolei fundo despejando um litro de porra na sua bucetinha.
No sofá ao lado, Aninha deitada se recuperava da foda com seu marido, e no tapete, Jair desmaiado tentava recuperar o fôlego para a próxima batalha.
Levantei-me e chamei Soninha para tomarmos banho juntos. Quando voltamos pra sala, a imagem da Aninha deitada de costa completamente nua, com sua bucetinha raspadinha molhada de porra, era coisa do outro mundo.
Jair e Aninha também foram pro banheiro, e eu ainda meio cansado sentei no sofá e peguei no sono. Acordei com minha cunhada alisando meu pau tentando me reanimar.
Quando Aninha percebeu que tinha acordado, ela com sua boca quente e úmida, passou a chupá-lo lubrificando, unindo sua saliva ao líquido que brotava.
Sua boca quase engolia por completo meu cacete, e depois ia liberando devagar. Quando chegava à cabeça, sua língua girava em torno e Aninha sugava forte antes de engolir novamente.
Com a mãozinha pequena e macia, massageava meu saco segurando, sentindo o seu peso, e com a outra, percorria meu pau em um vai-e-vem, enquanto sua boca e sua língua saboreavam o líquido que saía da cabeça do meu pau.
Quando estava pra gozar na boca da Aninha, trocamos de lugar. Aninha deitou no sofá e comecei chupando seu pescocinho enquanto minhas mãos percorriam seu corpo. Aninha se arrepiava quando levemente mordiscava sua nuca e minha língua tentava entrar na sua orelha.
Desci mais, e suavemente mordisquei o bico de um dos seus seios enquanto minha mão apalpava o outro que enrijecidos demonstravam todo o tesão que estava sentindo. Aninha com os olhos fechados curtia todas as carícias suspirando profundamente, e seu corpo serpenteava em todas as novas carícias recebidas.
Minha cunhada se arrepiou novamente quando minha língua chegou ao seu umbigo, fiquei um pouco ali e desci um pouco mais mordiscando sua virilha, quando cheguei à sua bucetinha raspadinha e cheirosa, abri seus grandes lábios e suguei com gosto todo seu mel.
Minha língua brincava em seu grelinho. Quando abocanhei e apertei com os lábios, seu corpo se estremeceu e ela se contorceu em um orgasmo alucinado despejando na minha boca todo o néctar do seu prazer.  
Não teve como não parar um pouco para admirar aquela maravilha que a natureza de uma forma tão generosa tinha abençoado minha cunhada.
Estava tão concentrado em proporcionar prazer a Aninha, que tinha esquecido da minha esposa e seu irmão.
Quando olhei pra trás, em fração de segundos meu cérebro captou esse cenário.
O relógio na parede da sala marcava quase 2.00h da manhã. Na mesa de centro, copos e garrafas de vinhos vazios. Na baixela alguns pedaços de queijo cortado em cubos, e na tela da TV, cenas de sexo explícitos entre dois casais que não paravam de foder.
No chão, peças de roupas e lingerie espalhadas pelo tapete, e no sofá, minha concunhada, uma loira de rosto angelical, olhos azuis da cor do céu, lábios carnudos, seios grandes e firmes, corpo perfeito, completamente nua deitada com as pernas aberta, totalmente descontrolada, esfregava na minha boca sua suculenta e deliciosa buceta raspadinha.
No outro canto da sala, minha esposa debruçada no braço do sofá com sua bundinha arrebitada, sofria para agüentar no seu cuzinho os 19cm de rola do seu irmão que a penetrava com estocadas forte e profunda arrancando de sua garganta grunidos indecifráveis.
Entre gemidos e sussuros, o cheiro de sexo e a cumplicidade dos parceiros, enchia aquele ambiente de erotismo e tesão, que ao mesmo tempo, expressava toda a volúpia de um desejo de certa forma “proibido”.
Coloquei minha cunhada debruçada no braço do sofá também, pincelei meu pau na entrada da sua buceta e atolei tudo de uma vez naquela fonte de calor e prazer. Meu pau entrava e saía de dentro da Aninha com tanta rapidez que foi preciso diminuir o ritmo para não gozar rápido de mais.
Aninha recebia todo meu pau e rebolava jogando seu corpo de encontro ao meu, que ao mesmo tempo agarrava em sua cintura e esfregava em sua bunda sentindo a cabeça do meu cacete roçando em seu útero.
Enquanto Jair arrombava o cu da minha esposa, eu saboreava a delícia da bucetinha da sua mulher que de forma escandalosa anunciava mais um orgasmo. Vendo aquela loira se arrepiar e gritar que ia gozar no meu pau, acelerei o vai e vem e mais uma vez despejei uma enorme quantidade de porra na bucetinha suculenta e apetitosa da minha cunhada.
Após termos gozados, Aninha sentou no tapete encostada-se ao sofá, eu me aninhei no meio das suas pernas com a cabeça no seu colo e ficamos presenciando a foda dos irmãos. Aninha presenciava o desempenho dos dois enquanto me fazia um cafuné.
Jair após ter presenciado o escândalo que sua mulher fez com minha vara atolada na sua buceta,
Grudou com mais força as ancas da sua irmã e a penetrava com tanta força que chegava a jogar Soninha pra frente.
Soninha gritava e pedia para seu irmão não parar e Jair fazia desaparecer seu pau no cu da minha mulher com tanta rapidez que quase não dava pra ver o entra e sai do seu cacete, derrepente Soninha como se tivesse sendo possuída por uma entidade, virava o rosto de um lado pra outro, jogava sua bunda pra trás, seu corpo se contorcia todo e gritava: - Eu vou gozar!!!!
Jair descontrolado agarrou forte a cintura da minha esposa, forçou seu corpo de encontro ao dela e gozou fundo no cu da Soninha urrando de prazer.
Após todos termos gozados e saciados, ficamos os quatros deitados no tapete da sala em silêncio absoluto curtindo aquele momento único, exaustos, porém felizes.
O dia já estava clareando quando acordamos, entrei no banho com minha cunhada, ensaboei seu corpo e não teve como não chupar novamente sua bucetinha que após ter gozado na minha boca retribuiu com uma chupeta deliciosa, saímos do banheiro porque Jair e Soninha estavam esperando a vez deles.
Quando entraram no quarto, já estava com meu pau atolado no cu da minha cunhadinha que não tinha comido ainda. Seu cuzinho era bem apertadinho, pois meu pau era bem mais grosso que do seu marido. Ela rebolava e pedia pra meter devagar até se acostumar porque estava sentindo um pouco de dor.
Jair pegou sua irmã, deitou a de costa e chupava com vontade sua buceta, é uma sensação deliciosa ver sua esposa sendo chupada pelo próprio irmão enquanto mete a rola no cu da sua cunhada ao lado do marido.
Logo Jair pôs Soninha de quatro também e atolou seu pau na buceta dela, então retirei meu pau do cuzinho da Aninha e carquei na sua bucetinha deliciosa.
Era maravilhoso ter aquelas duas gatas de quatro na sua frente rebolando e gemendo com um pau atolado na buceta.
Fodíamos nossas esposas trocadas lado a lado, quando estávamos pra gozar, Jair trocou de lugar comigo passou a foder sua esposa e eu passei a foder a minha, gozamos os quatros juntos, agora cada um com sua mulher, era a primeira vez naquela noite que gozávamos cada um com sua esposa.
Após termos gozados novamente, exaustos desmaiamos.
Dormimos os quatro na mesma cama.
Quando acordamos já estava quase na hora do jantar. Na noite seguinte repetimos tudo novamente.
Na segunda feira cedo meus cunhados voltaram pra São Paulo, e nossas vidas novamente retornariam a seu curso normal aguardando nova oportunidade para extrapolarmos outra vez.
O tempo passou e nossas relações a quatro continuaram, sem culpa, sem preconceito, e sem medo de ser feliz, o que rola entre nós é um pacto de puro sexo, erotismo, desejo, cumplicidade e respeito mútuo. Somos felizes assim.
Nossas famílias nunca desconfiaram de nós, e é assim que tem que ser.
Se isso é errado não sei, cada um tem seus conceitos de certo ou errado, a igreja impõe seus dogmas, a sociedade de um modo geral condena o incesto, eu fico pensando, será mesmo pecado proporcionar um prazer tão intenso a outras pessoas mesmo que sejam do mesmo sangue?
Quem achar que estamos errados, que atire a primeira pedra.
Se gostarem do conto, de seu voto, se não gostaram, critique, pois só assim vamos melhorando o modo de escrever. Abraços a todos.


Foto 1 do Conto erotico: ESPOSAS TROCADAS (Incesto, Prazer a quatro)












UM DIA COM MINHA SOBRINHA ROBERTA E MINHA IRMÃ


Por minha irmã estar morando só ela com Roberta sua filha pois meu cunhado resolveu ir para sua cidade natal para la tocar uma lanchonete e como minha irmã não quis acompanhar acabou ficando ela e sua filha Roberta, para não ficar sem fazer nada nossa mãe que e uma senhora de mais idade convidou a mesma para ficar em sua casa fazendo alguns serviços domésticos e assim o dinheiro que pagaria uma estranha daria para ela em troca do seu serviço, e como ela tem seu apto no mesmo bloco onde moro sempre que precisa de fazer algo ela me chama e foi em um destes dias que Roberta por chegar cedo em casa do serviço notou que o fio que liga a geladeira na tomada estava solto e ai veio e me pediu se podia ir até la para arrumar o que pronta mente fui, Roberta e uma moça magra com um corpo esbelto mais uns par de seios grandes e sempre quando esta em casa usa uns shorts curtinho que deixando a mostras as poupinhas da sua bundinha para fora, sabe como e quem vê fica desejando comer aquela bundinha e chupar aqueles melão que deve ser deliciosos, e por mais que sou seu tio não sou diferente dos de mais, mais fico na minha, mais neste dia não me aguentei e quando la cheguei e ao me ver só com Roberta não aguentei e lhe falei Ró sabe que você e muito gostosa e provoca tesão nos homens quando você coloca estes seus shortinhos, ai Roberta me perguntou e no senhor tio o que lhe provoco ai lhe falei o mesmo tipo de reação que provoca nos outros sua bobinha pois não sou diferente sabia não porque sou seu tio, pois já me peguei me masturbando pensando em você, ai Roberta me olho e me falou seu taradinho não perdoa nem a suas sobrinhas em, ai lhe falei quem manda vocês serem gostosa sou velho mais não estou morto linda, enquanto arrumava o fio Roberta foi para seu quarto e assim que viu que tinha dito que estava pronto a mesma me chamou até o quarto e ao entrar vi aquela menina moça deita na cama nua e me dizendo que acha me vendo nua agora tio lhe falei que linda que coisa maravilhosa e quando vi aquela bocetinha depilada me dando impressão que era de uma guria nova não vacilei cai de boca e Roberta pondo as pernas em meus ombros me dizia vai titio faz sua sobrinha gozar faz, nossa chupei gostoso que senti seu gozo escorrendo em minha boca que delicia.
Depois que mamai em sua boceta foi a vez de Roberta retribuir me chupando e quando viu o meu cacete me falou nossa tio como a tia aguenta este seu cacete em sua boceta, pois a do meu pai e menor que a sua e já minha mãe lhe dizer para ir de vagar para não machucar ela, imagina se ver a do senhor ai ela morre, mais ai lhe falei e você gostou o que mamando balançou a cabeça dizendo que sim, depois de me fazer gozar em sua boca e beber tudinho me falou sempre me vi na pica do meu pai mais sabe como o mesmo e muito puritano com a gente aqui em casa pois na rua come todas que lhe da bola, pra o senhor ter uma ideia o dia que o vi de cacete duro cheguei a gozar só vendo que passei mal que desmaiei e deixei todos preocupada aqui em casa achando que eu estava com alguma doença que minha mãe chegou a me levar ao medico e como foi um medica que me atendeu contei o que tinha me acontecido só não falei que foi porque vi meu pai nu de pica dura e sim um vizinho o que a mesma riu e me falou para me controlar e quando for ao banheiro ou me deitar bater uma siririca para descarregar um pouco, mais minha vontade era tanta em ter uma pica dentro de mim que assim que arrumei um namorada no segundo dia deixei ele me tirar o meu cabaço olha que estava com 18 anos e o mesmo com 22 anos e lhe falei que se algo acontecesse não iria cobrar nada dele o que foi gostoso a nossa primeira vez que passamos a fazer sexo toda as vezes que ficávamos a só seja em casa ou em algum lugar, pois para facilitar andava sem calcinhas para podermos fazer sexo onde estavamos e nos desce vontade.
Mais voltando a nos dois depois desta conversa coloquei Roberta de quatro e antes de meter minha pica em sua boceta dei uma chupada tanto em sua boceta como no seu cuzinho tirando gemidos e me dizendo nosso me arrepiei todo com esta seu jeito de fazer as coisas tio, e assim ficando de joelho direccionei minha pica para entrada de sua boceta e fui penetrando onde Roberta me dizia vai meu tio gostoso mete na sua sobrinha vadia que adora dar e sentir uma pica gostosa dentro dela e rebolava gostoso na minha pica e inconsciente me chamava pelo nome do seu pai pedindo para gozar na sua filhinha o que me deixava com mais tesão, nossa aquele fim de tarde foi de mais pois tive Roberta de todo jeito, e como estava gostoso não vimos a hora passar e como minha irmã chegar e quando nos viu ali no quarto ficou da porta olhando e se masturbando pois também já vinha a um bom tempo sem ter uma pica dentro de sua boceta, quando me virei e vi minha irmã se masturbando e gemendo pedi para Roberta olhar e qual foi minha surpresa quando a mesma falou vem mãe experimenta a pica do tio e vai ver como e gostosa olha só e maior do que a do papai viu mais a senhora aguenta e minha irmã sem falar nada ficou nua e dizia venha meu irmão me fode me faz gozar faz ai tive que comer minha irmã ali no quarto da sua filha e com Roberta fazendo carinho nela e dizendo goza minha coroa deixa tudo este seu tesão sair para fora deixa, nossa quando sai dali estava acabado pois alem de fazer sexo com um garota fazer com minha irmã que apesar da sua idade ainda tinha lenha para queimar e daquele dia em diante passei a ser amante da minha sobrinha e da minha irmã, e como minha irmão tinha minha mãe como sua confidente passei a comer minha mãe também o que adorei a ideia pois sempre quis comer minha mãe desdos meus tempo de menina adorava ver minha mãe nua, mais isto e outra historia que voltarei e relatarei para vocês.                                













Um incesto feminino


Ola! Me chamo Mell hoje tenho 35 anos de e tudo que passo a relatar aqui tenham certeza é verídico, pedagoga, bom não há necessidade dizer que sou uma mulher normal como outra qualquer, não sou aquele tipo que são descritas aqui como se fosse a reencarnação de uma divindade grega, sou brasileiríssima, seios pequenos, bumbum redondo, pernas torneadas e gosto de um bom sexo, não importando se convencional, (hetero) como costumam conceituar os piegas, os pregos ou “puritanos”, mas também adoro uma boa safadeza com uma ou mais pessoas do mesmo sexo (homo), o que vou relatar aqui é um pouco da tamanha liberdade que tenho desde muito menina, mamãe uma mulher linda cabelos e olhos castanhos, papai um sujeito tranqüilo caucasiano, com uma visão de mundo muito diferente de muitos cidadãos que se apresentam como sendo liberais, tudo teve inicio quando papai teve que fazer uma viagem um tanto quanto mais longa isso a um bom tempo, ou seja, eu tinha na época exatamente 19 anos de idade, Mauricio meu irmão tinha 21 anos, como aqui em casa é muito natural estamos sempre desfilando nus, ou semi-nus, nunca nos preocupamos em enrolar a toalha para ir ou vir do banho, quando chega a noite se temos um filme, assistimos do melhor jeito Adão e Eva e é tão natural que não nos importamos mesmo, bom mas vamos ao relato nessa viagem que papai teve que fazer ficamos nós três em casa, em uma manhã ao passar pelo quarto de mamãe notei que ela estava parada diante do espelho olhando o seu corpo nu, com grande curiosidade retornei para ver o que ela fazia ali parada, então olhei de forma detalhada, minha mãe era mesmo uma mulher muito bonita, entrei em seu quarto e a elogiei ela com naturalidade disse que eu também era bonita veio e me abraçou, senti então um toque diferente em meu corpo algo como se me tivesse ligado a um fio condutor de eletricidade leve, continuei abraçada a mamãe, nossos peitos pressionava um contra o outro e nossas respirações fazia com que nossas barrigas encontrassem-se, nos afastamos e entreolhamos sem entender muito o que estava acontecendo, sem dizer uma única palavra voltamos a nos abraçar e dessa vez já sabíamos o que fazer sem nunca ter imaginado que podíamos chegar a ser lésbicas, trocamos um longo e molhado beijo de língua caímos na cama ao lado e sem um planejamento nos lambíamos, nos chupávamos, esquecemos que éramos mãe e filha, lembro que mamãe tinha feito depilação a pouco sua xaninha ainda estava bem vermelha, eu como sempre tenho só uma pequeno chumaço de pentelhos na testinha da xoxota, e assim mesmo sempre muito bem aparado, nós duas entrelaçadas num 69 gostoso, depois passamos para uma deliciosa tesourinha, nossa como era gostoso sentir o calor do grelo de mamãe roçando contra o meu, era um delírio total, voltamos a nos chupara depois de gozarmos uma com a xana roçando na outra então em nosso 69, mamãe enfia a língua no meu cuzinho e subia rumo a minha xana me fazendo ir a loucura então eu a retribuía, como era gostoso, ficamos nos comendo por um longo período, acabamos nos completando e nossa amizade aumentou muito. O restante de nossa família, ou seja, papai e meu irmão hoje sabem e fazem parte das nossas orgias familiares que relatarei em uma outra oportunidade.Se quiserem poderão me contatar e se achar que devem poderão me add ficarei muito feliz mesmo















UMA SURUBA EM FAMILIA


Como relatei no meu conto anterior acabei não so fazendo sexo com minha sobrinha Renata como com sua mãe que e minha irmã e tambem com minha mãe, gente você podem até me chamar de doido mais e verídico o que estou lhes relatando a vocês, o que adorei em tudo isto foi fazer não so sexo com minha sobrinha e minha irmã mais principalmente com minha mãe que acredite por sua idade e uma coisa na cama olha que a coroa tem 70 anos mais adora uma pica e me confidenciou que já vinha a um bom tempo desejando mais que meu pai não mais a procura e acaba se vendo só e quando vai ao banheiro na hora do banho e se masturbando e que quando soube da minha safadeza com minha irmã e sua neta, pediu a minha irmã que se podia participar da brincadeira onde minha irmã acabou sem eu saber um dia que estavamos os três na cama, saiu e telefonando para nossa mãe e convidando para participar da brincadeira o que não demorou muito tempo a mesma chegou e como estava no quarto comendo Roberta não viu achando que minha irmã tinha ido preparar algo para nos comer depois daquela parada o que sempre fazia, me assustei quando minha mãe entrou já nua e nos falou que lindo tio comendo a sobrinha e a mesma gemendo em seu cacete e sem demora nos falou eu também quero sentir esta pica na minha boceta e se deitando junto de nos e me beijando me falou você em filho com esta cara de santo em acalmando mãe e filha para não sair por ai biscatear que legal em, agora vai poder satisfazer também sua mãe que anda loca para levar uma pica na boceta, Roberta vendo a carência da avó sai de cima e falou vai vovó senta na pica do tio e mata esta sua vontade que esta ai dentro de você a mais tempo que a minha, assim que Roberta saiu minha mãe deu um beijo em sua boca e lhe falou obrigado minha neta deixa a vovó matar o seu tesão nesta pica lindo do meu filho e seu tio e subindo começou um sobe e desce e gemer e dizer que delicia como estava com saudade de um cacete em minha boceta e rebolava e me falava fica quieto deixa eu me mexer pra relembrar meus velhos tempo filho e como uma doida dizia nossa como e bom que coisa gostosa, se uniu a nos minha sobrinha minha irmã e começaram a fazer carinha em minha mãe e dizer vai cora goza gostoso goza e fazendo carinho e a beijando que teve uma hora que achei que ia dar o troço em minha mãe de tanto que a velha gozava em minha pica que delicia.
Vocês que acha que uma mulher que depois que atinge uma certa idade não tem prazer e porque não conhece minha mãe coroa e fogo adora fazer sexo em todas as posição e adora dar o cuzinho e acabou descobrindo que e lésbica pois adora fazer Renata e minha irmã gozar em sua boca enquanto eu como ela nossa, a partir deste dia passamos a fazer sempre sexo e tem vez que minha mãe vem até a minha casa e passamos horas metendo já cheguei a passar uma noite inteira com ela quando meu pai sai para visitar os outros meus irmãos e uma loucura, pois eu ponho todo aquele tesão que sempre tive por ela na minha adolescencia para mim e uma linda mulher que esta em meus braços e segundo ela me falou se soubesse que sempre tive vontade de meter nela não teria corneado meu pai com alguns amigos dele na época pois teria um macha na sua própria casa e me elogiou muito dizendo agora sei o porque que sua mulher dis que você na cama e fogo seu safado, A uma coisa que ia deixando passar segundo minha sobrinha minha mãe e tanto minha irmã lhe confendiciou que se possam queria ter um filho meu para poder cuidar bem pena que eu por ser um cara activo fis uma operação de vazequitomia para não sair por ai engravidando as mulheres com quem me relaciono, pois podemos ter nossos casos entre família e por fora mais com consciência de que já estamos errados em nossos actos, e não queremos deixar marcas o desgostos em pessoas que compartilhamos as nossas relação, temos que ser honesto com elas e isto que prezo em minhas relação


Foto 1 do Conto erotico: UMA SURUBA EM FAMILIA

Foto 2 do Conto erotico: UMA SURUBA EM FAMILIA

Foto 3 do Conto erotico: UMA SURUBA EM FAMILIA

Foto 4 do Conto erotico: UMA SURUBA EM FAMILIA

Foto 5 do Conto erotico: UMA SURUBA EM FAMILIA




















conheci essa mulher na net.


óla essa foi verdade mesmo,em junho do ano pasado estava em uma sala de bate papo quando conheci uma mulher de 46 anos e eu tenho 42 anos,batemos um papo muito legal com firmesa,ela era muito timida como sou um homem casado e respeitador conversamos com muito carinho e respeito e assim deu o numero do meu cel. a ela no outro dia ela ligou para mim,tinha uma voz de uma pessoa triste perguntei se ela estava doente ela disse nao,foi ai que descubri que ela era casada tambem,nao tinha um bom relacionamento com o marido,nao falou mais nada ai comecei apergunta sobre a vida intima dela com o maior cuidado ,ai ela foi se soltando e mim disse tudo,marcamos para se encontra e ai se encontramos,ela gostou muito de mim,sou muito discreto foi fazendo logo pergunta a ela de que ela gostava de fazer,ela muito timida nao quis falar ai eu incisti e comesamos a falar de sexo ela disse a mim que o sonho dela era fazer sexo anal mais o marido dela era muito durao ela comedo de comentar sobre sua fantasia e ele ficar bravo ela nao falava nada,disse a mim tambem que tinha vontade de ser chupada e de chupar um penis,convideu para o motel ela ficou meia timida mais fomos chegando comesamos a se beija e comeceu ver que aquela mulher nunca tinha sido amada na cama,acho que ela era apenas usada como deposito de esperma,sim comesei tirando a roupa dela e ela fechava os olhos e gemiacom muito carinho comeceu pegando nus seios dela que era muito bonitos e depois deci a mao pegando na vagina dela nessa hora ela estava delirando e comecei tirando minha roupa e ficamos totalmente pelado ai peguei a mao dela e botei no meu penis quando ele sentiu que meu penis estava muito duro fechou os olhos e decendo o botou em sua boca e ficava alizando meu testiculo era uma coisa de louco depois mandei ela fica de quatro e comecei chupando sua bucetinha molhada e lambendo seu curzinho foi quando ela pediu que eu penetrasse com carinho no seu anos,ela gemia e pedia a mim para nao tirar,eu como sou muito carinhoso na quele mesmo momento apertava seus seis ai era que ela ficava louca se remechendo com meu pau dentro do seu curzinho,gozava feito uma louca depois pediu para eu gozar na sua boca,gozei ela tomou meu leitinho saimos mais vezes,quando foi agora e natal de 2009 ela mim apresentou a uma amiga   que era muito timida sai com ela tambem,e agora saio com as duas, agora nos tres somos amigos se encontramos tranzamos bastante tudo com maior descriçao,moro em recife e se vc quizer mim conhecer entre em contato.
                                


Foto 1 do Conto erotico: conheci essa mulher na net.















ACONTECEU EM UM ACAMPAMENTO


O'Que vou relatar aconteceu quando fui convidado para ajudar em um acampamento de jovens Evangélicos da igreja que frequento, tivemos que ir na frente para organizar as coisas e fomos em dois casais e mais uns dois homens no meu causo estava incluído no grupo, na viagem fiquei conhecendo um dos casal que por sinal dois dos seus filhos iam participar do acampamento, como fomos em uma combi acabei sentado do seu lado e notei que volta e meia a mesma passa sua perna contra a minha e com isto seu vestido subiu um pouco mostrando suas lindas pernas, fis de tudo para não ficar de pau duro mais teve uma hora que tivemos que dar uma parada para irmos ao banheiro e ao sair a mesma ficou de costa para mim o que com aquela bunda quase no meu colo o que não aguentei e fis sentar no meu colo e na brincadeira me pediu desculpa mais percebi que gostou, até chegar no sitio onde ia ser o acampamento notei que Joyce passou a me fazer carinho com as mão que estava atrás da minha cabeça, cheguei perto do seu ouvido e lhe falei para você esta me deixando excitado me olhou e riu e ao chegar no sitio e na hora de descer a mesma fez questão de ficar por ultima e antes de descer pegou no meu cacete e me falou quero esta coisa gostosa viu irmão antes deste acampamento acabar e sai dando risada com um ar sinistro com seu marido não entendendo nada.
Como tínhamos que formar um equipe para fazer os serviços, acabei ficando na equipe da irmã Joyce que já vinhas fazendo certos tipo brincadeira, e depois de tudo acertado todos deram um começo na arrumação e depois fomos tomar um banho pois tínhamos que jantar e dormir para no outro dia deixar tudo arrumado para chegada dos jovens, para minha alegria fui destacado para junto com a irmã Joyce ir arrumar os quarto deixando todas camas arrumada para receber o pessoal enquanto os outros foram arrumar mesas e fazer um lanche para quando os jovens chegasse para se alimentar, perguntei a irmã Joyce se o seu marido não iria ficar bravo por ter sido o escolhido para ajuda-la e foi ai que me falou que foi quem deu a ideia para ficar comigo pois segundo a mesma queria saber se de fato queria comer ou era só fogo de palha, o que seu marido concordou e falou que depois queria saber de tudo, entramos no primeiro quarto onde tinha quatorze beliche para arrumarmos e começamos la no fundo mais antes como Joyce estava com uma calça apertada mostrando o tamanho da sua bunda dei uma encovada o que se soltou e me falou nossa como esta a sua ferramenta, foi até a porta e fechei e quando voltei a irmã Joyce já estava deitada na cama sem a sua calça tirei as minhas e fui para cima na posição papai mamãe lhe fiz nossa primeira penetração o que me abraçou e me cravou as unhas na minhas costa e me falava vai me fode quero gozar nesta sua pica seu safado e levantando as ancas começou a rebolar na minha pica e a chorar que até pensei que estava machucando mais me falou que quando esta espetada em uma pica gostosa como a minha chorava de tesão, e claro que nunca choro na pica do meu marido se e que se pode chamar aquilo de pica me falou, pois meu filho tem a pica maior que a dele, para desfazer minha curiosidade lhe perguntei quanto media a pica do seu marido me falou acredite 12cm e fina, ai lhe fis uma pergunta o que me respondeu quantos amantes você já teve, me respondeu com você dois, meu primeiro amante foi um amigo do meu marido que se não tivesse casado com ele casaria com este amigo pois me confessou que e gamado em mim e foi ai que me tornei sua amante até hoje, como o mesmo, pois por motivo de serviço não pode estar aqui e percebi que você sempre foi meio safadinho com as irmãs da igreja vi a oportunidade de estar com você e confirmar o que algumas dela fala a seu respeito que e bom na cama e satisfaz elas por completo, gente acredite falamos tudo com minha pica enterrada na sua boceta e que delicia, demos um tempo para nos gozar e depois acabemos de arrumar o quarto e marcamos um encontro na despensa pois la alem de ter as coisas era deposito de colchão e podíamos ficar mais a vontade.
Não via a hora da noite chegar para estar só com Joyce mesmo sabendo que seu marido estava por ali e logo seus dois filhos, quando foi na hora marcada disfarçando que ia ao banheiro me dirigi para a despesa onde Joyce já me aguardava deitada em um colchão nua e toda faceira nossa quando vi aquela mulher deitada ali não aguentei e entrando no meio das suas pernas cai de boca em sua boceta chupei gostoso, Joyce e do tudo gordinha com uma bunda grande sem falar nas suas coxas e peitos nossa era de mais ter aquela mulher só para mim, sabendo que não podíamos demora fomos fazendo de tudo para que tanto Joyce e a mim se satisfazerem nossa foi uma loucura não queria sair dali o que gostaria era passar a noite com Joyce como era gostosa e como sabia meter a safada foi poucas horas mais foi bom que marcamos um encontro fora dali quando voltássemos para casa os dias que ali passamos foi de mais pois não podíamos ficar só que nos beijávamos onde Joyce me falou que ia terminar com seu amante e ficar só comigo pois adorou ter minha pica em sua boceta e seu cuzinho o que ia querer sempre pois éramos vizinhos e seria mais fácil se ver, lhe falei que poderia ficar com nos três pois tinha seu marido também o que me falou que não pois tinha uma surpresa para mim e segundo a mesma só seria para mim então fiquei na minha, só que fiquei curioso para saber qual era a surpresa e adivinha que era nada menos nada mais que comer o seu marido pois o mesmo adorou em me ver fedendo com Joyce na despesa e que queria ser meu também, ai lhe perguntei sobre o outro Joyce me falou que seu marido não gostava por ser muito metido e boca aberta e que tinha medo do mesmo sair falando que alem de comer a mulher comia o marido já quanto a mim sendo um cara mais velho ia saber manter as coisas em segredo, para não ficar cansativo de ler vou parar por aqui e volto contar como foi a nossa transa entre nos três me aguarde.



 Foto 4 do Conto erotico: ACONTECEU EM UM ACAMPAMENTO



Foto 1 do Conto erotico: ACONTECEU EM UM ACAMPAMENTO

Foto 5 do Conto erotico: ACONTECEU EM UM ACAMPAMENTO

Nenhum comentário:

Postar um comentário