Google+ Followers

terça-feira, 19 de março de 2013

CONTO


TREPANDO COM UM VIRGEM


......... Cidade do interior, bucolica, aconchegante e quase nada para fazer. A noite alguns quiosques, ondes as pessoas se encontram para jogar conversar fora, paquerar e beber. Foi em um desses quiosques que vi pela primeia vez Rafael. A pimeira impressão, um cara timido, tipico de cidade do interior. Bonito e com seus 20 anibhos de idade. Eu me chamo apolo. E de minha mesa no quiosque observo aquela delicia de cara. Ao longo da noite percebo tambem que Rafael me observa. Horas depois Rafael se levanta de sua mesa, e vai em direção ao banheiro. É a deixa para eu poder conversar com ele. Me levanto, e vou tambem ao banheiro. E lá somente nós dois estavamos. Pergunto seu nome, idade e sem que ele espere tasco um beijo em sua boca. Sem rejeição de sua parte ficamos nos beijando por um ou dois minutos, e em seguida o convido para ir ao hotel onde estou hospedado. E ele aceita. Já no quarto do hotel, ele me diz que nunca havia ficado com outro homem, portanto ele era virgem. Então digo para ele que vou devagar, em seu tempo, sem pressa. E ele acena com a cabeça dizendo que sim. Beijo ele novamente, enquanto vou tirando sua blusa, acaricio seus mamilos com as mãos, e logo passo a acaricia-lo com a boca. Pequenas lambidas e chupadas dão inicio a disvirginidade de Rafael. Passo a mão em sua rola por cima da cueca e constato que sua vara está em ponto de bala, dura como uma barra de ferro. Abro o cinto, desço o zipper. abaixo a calça um pouco, e vejo por baixo da cueca uma grande rola quase saltando para fora. Tiro totalmente sua calça, e a agora somente de cueca, passo a morder de leve sua rola por cima da cueca. vou tirando bem de vagar a cueca, e sua rola salta de dentro da cueca, se mostrando eretamente potente. Cheio de tesão, pego com as duas mãos aquela pica, e a enfio todinha em minha boca, chupando e lambendo ali em pé. Rafael, geme e se contorçe a cada chupada que dou naquela rola.O levei para a cama, tiro minhas roupas, e nova seção de chupadas foram dadas naquele corpo. Senti o cheiro de sexo por todo o quarto, enquanto chupava sua bolas. Uma leve passada de lingua no cuzinho de Rafael, arranco dele um longo gemido, sinal de que estava gostando. Abri o mais que pudo suas pernas, até seu cuzinho ficar todo exposto para mim. Enfiei minha lingua naquele cuzinho, lambia com avidez de um animal no cio. Rafael não estava mais aguentando, seus gemidos diziam isso. Passei a chupar novamente seu pau iponente, fui subindo com a boca pelo seu abdomem, até chegar a sua boca. Um longo e demorado beijo se seguiu, e ao pé de seu ouvido digo para ele, que quero aquela rola todinha dentro de mim. E ele diz; é o que eu mais quero agora, enfiar minha cobra todinha dentro desse cuzinho. Saimos da cama e fomos uma poltrona no canto do quarto, ele se senta com sua rola totalmente ereta. Ele da uma cuspida no seu pau, espalha e diz para eu sentar que ela esta prontinha, tá até pulsando.. vai senta bem gostoso. Eu obdeço, e sua rola some todinha dentro de mim. Eu sinto aquela vara todinha dentro de mim, começo a mexer meu quadril, suave e constante até ouvir da boca de Rafael um sonoro gemido, me deixando com mais tesão. Me apoio em meus joelhos inclinado para frente, e mexo minha bunda com o pau de Rafael todinho dentro d mim. Depois de um tempo, fomos para a cama a pedido dele. Ele queria meter em meu cuzinho de quatro, e eu aceitei, pois e a posição que eu mais gosto. De quatro na cama, aquele virgem meteu sua rola em meu cu que soltei um grito de dor e prazer. ele diz, você não queria rola seu puta então toma, toma rola, toma. Sua enterradas vigorosas quase me faziam chegar ao orgasmo, mais me segurava. Ainda não era a hora. Começei a contrair meu cu, dando pequenas mordidas no pau de Rafael, e ele se inclinou sobre mim e junto do meu ouvido diza, filho da puta, mordendo meu pau com seu cuzinho ne! mored mais vai, é uma delicia, estou adorado. E eu continuei mordendo, até ele dizer, se você continuar eu não vou aguentar e vou gozar. Ele percebendo que não ia aguentar mais, e querendo que eu gosasse junto com ele, começou a bater uma punheta em mim, enquanto meu cú mordia sua rola. Ele abraçado a mim, como se quizesse entrar todo dentro do meu corpo, mordeu meu pescoço e diz eu estou gozando seu puto. E eu com sua punheta tambem estava derramando meu leite quentinho, e meu cuzinho mordia com mais força o pau de Rafael. assim caimos abraçados em extase em cima da cama, com o pau de Rafael ainda dentro de mim, e assi dormimos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário