Google+ Followers

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Uma explicação sobre o Ponto G e de como encontra-lo


Nosso amigo leitor Ueslei nos manda uma mensagem sucinta com apenas uma pergunta: “onde fica o ponto G da mulher?” Dúvida das mais justas, sobre a qual não podemos nos omitir de responder.
O Ponto G nasceu como uma hipótese de certo ginecologista alemão chamado Ernst Gräfenberg (por isso o “G”), em 1950. Não se sabe exatamente o que motivou o médico a lançar tal hipótese. Na verdade, cientistas, filósofos, médicos, biólogos e mais um exército infindável de sexólogos se desdobram na vã esperança de compreender a mulher em todas as suas particularidades mais profundas. O Ponto G foi uma tentativa de desvendar o orgasmo e o prazer feminino, mas, na verdade, acabou confundindo ainda mais.
Nunca, de fato, a existência do Ponto G foi confirmada. Há quem afirme com segurança sua existência, inclusive mulheres que lograram, segundo afirmam, a felicidade de encontrá-lo. Um verdadeiro enigma da humanidade, semelhante aos OVNIS e aos ETS, à extinção dos dinossauros e à existência de Atlântida.
Para aqueles que afirmam sua existência, o Ponto G é uma área escondida atrás do clitóris, muito sensível, que, ao ser estimulada, produz um grande prazer. Uma espécie de recanto secreto do prazer feminino. Não seria maior do que uma moeda e teria a propriedade de, vascularizado pela excitação, até dobrar de tamanho, tal como um pênis. Na verdade, a sensibilidade do milagroso ponto é comparada à das glandes.
A literatura de autoajuda gosta do assunto porque pode tentar explicar em detalhes a tarefa quase subjetiva de encontrá-lo. Resumindo os diversos mapas do tesouro que se espalham por aí, basta introduzir o dedo cerca de 4 a 5 centímetros no canal vaginal e estimular esse trecho apalpando-o com média pressão. O ponto G pode ser reconhecido por ter uma superfície mais lisa na área em questão.
Mas o tema vai além da árdua, e nem sempre compensadora, tarefa de encontrá-lo. Afinal, se é positivo o homem se preocupar com o assunto, é delas que devem vir as manifestações maiores de interesse.
Além disso, as mulheres são assim, tão diabolicamente encantadoras, porque sempre tiveram, e terão, essa aura de mistério, obscurantismo e segredo que as envolve. Descobrir o Ponto G não vai diminuir o mistério — promoverá apenas a sensação passageira de que é possível dominar um desafio eterno e divino.
Por isso, Ueslei, nosso amigo leitor, se você quiser descobrir esse segredo, não pense que, com isso, você desvendará o universo feminino. Até porque,  há outros tesouros a serem descobertos. Como o Ponto A e o Ponto U.

Nenhum comentário:

Postar um comentário